quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Tempo é Arte

O rio

Uma gota de chuva
A mais, e o ventre grávido
Estremeceu, da terra.
Através de antigos
Sedimentos, rochas
Ignoradas, ouro
Carvão, ferro e mármore
Um fio cristalino
Distante milênios
Partiu fragilmente
Sequioso de espaço
Em busca de luz.

Um rio nasceu.

2 comentários:

Fabio disse...

O LUCIOOOOOO
QUEREMOS MTO FALA COM VC! NOS ACHA Q EU TO TENTANDO FALA COMTIGO A UMS DIAS JA IRMAOZINHO SAUDADES E DA SINAL DE VIDA TCHE!!!!!!
BJAO FAHBIOLLEZAH

juliana disse...

nossa..que foto mais linda!